GARAGEM EM CONDOMÍNIO: PROBLEMAS, REGRAS E BOM SENSO

Já foram a garantia de segurança e comodidade alguns anos atrás, mas, por n motivos, muitos condôminos transformam a vida em comunidade em uma grande dor-de-cabeça quando o assunto é a vaga para estacionar.

Garagem é sempre um dos maiores ou talvez o grande motivo para uma série conflitos em condomínios.  Entre os principais problemas citamos alguns mais comuns e vamos montar um guia de sugestões:

1) Estacionar em locais errados:

– Impede a circulação na garagem, gerando atrasos em compromissos de condôminos;

– Desorganização do uso da garagem: se você para na vaga de alguém, esse também vai ter de parar em uma vaga errada ou procurar o infrator gerendo stress entre os condôminos.

SUGESTÕES:
Agir rapidamente e com firmeza. Não hesitar em aplicar as advertências e multas previstas na Convenção e no Regimento Interno. Esse é um problema que, se não for combatido desde o princípio e seriamente, pode gerar uma prática que se torna uma das principais causas de atrito em condomínios.Realizar uma campanha de esclarecimento, com cartazes no elevador e no quadro de avisos da garagem, orientando para o bom uso da garagemUtilizar as câmeras da garagem, se houver, para monitorar e interfonar imediatamente para a unidade relativa ao automóvel deixado fora da vaga.

 

2) Utilização desses espaços por moradores como depósito

– Ruim para a higiene: materiais como madeira e papel tornam-se facilmente abrigo e alimento para insetos que podem se alastrar no condomínio;

– Desvirtua o uso da área comum previsto na Convenção;

– Pode expor as crianças do condomínio a objetos perigosos;

– Em excesso, pode dificultar manobras e acesso a vagas;

– Cria aparência de bagunça e automaticamente deprecia o patrimônio.

SUGESTÕES:
Para evitar essa situação, o ideal é manter os funcionários do condomínio de olho na garagem. Se o morador for avisado da proibição de deixar materiais na garagem no mesmo dia em que os colocou ali, e que será multado, a probabilidade da remoção imediata é grande.

Caso não haja punição prevista no regulamento interno, e seja um problema corriqueiro, o ideal é que uma assembleia aprove as medidas que deverão ser tomadas, como multa e remoção do material da garagem por parte do condômino

 

3) Carros maiores que as vagas:

– Dificulta a manobra nas vagas vizinhas;

– Dificulta o acesso às vagas vizinhas.

SUGESTÕES:
As vagas em condomínios podem ser P, M ou G. Está previsto no Código de Obras e Edificações da cidade de São Paulo (Lei Nº 11.228/92) que 50% das vagas em prédios residenciais devem ser de tamanho pequeno (2 m X 4,20 m), 45% de tamanho médio (2,10 m X 4,7 m) e apenas 5% do tamanho grande (2,5 m X 5,50 m). Desta forma, cada morador deverá acomodar o seu carro dentro do limite da sua vaga.

Se o carro ultrapassar esse limite, o morador deverá trocar a vaga assim que possível com algum vizinho ou tentar conseguir uma vaga maior durante o sorteio.Sempre importante aplicar a Convenção e o Regulamento. Transigir em um caso ou dois pode abrir precedentes perigosos

 

4)Furtos, danos e amassados causados por vizinhos

– Gera atritos mais intensos entre moradores;

– Efeito cascata onde os moradores que se sentiram lesados voltam a cometerem outro tipo de infrações graves motivados pela emoção e calor do problema.

SUGESTÃO: 
Mesmo o prédio não respondendo por danos ou furtos causados entre moradores. O Síndico tem que atuar diretamente e firme nesses casos como pacificador e ponto racional do problema. 
O prédio poderá identificar e fornecer informações do condômino que causou o dano para facilitar a resolução dos casos.

EQUIPE ARDITO SINDPRO acredita que é sempre possível administrar e até mesmo intermediar as situações que possam resultar em conflitos.

Os condôminos devem utilizar o bom senso e respeitar as regras estabelecidas para evitar desentendimentos e possíveis ações judiciais. Nós, como seu síndico, podemos assumir o papel de mediador e agir com firmeza em atritos provocados por causa da garagem, inclusive com aplicação de advertências e multas previstas na convenção e no regimento interno.